Quais os motivos para ter formação em osteopatia?

Quais os motivos para ter formação em osteopatia?

A maioria dos profissionais, independentemente da área de atuação, já percebeu que investir em conhecimento ajuda a consolidar a carreira e atrair mais clientes. No caso dos fisioterapeutas não é diferente e a formação em osteopatia surge como uma ótima alternativa por diversos motivos.

A osteopatia não é uma novidade, mas ainda está em fase de expansão. Reconhecida como uma especialidade da fisioterapia desde 2001, a técnica conta com o aval também da Organização Mundial da Saúde. Só por isso, os fisioterapeutas já deveriam estar atentos e investir em formação em osteopatia para, pelo menos, estarem atualizados.

Mas reforça essa necessidade o fato de vivermos hoje a cultura do bem-estar. Ou seja, as pessoas estão muito mais interessadas em cuidar da saúde. Programas de TV, alimentos saudáveis, movimento em academias e um número cada vez maior de praticantes de caminhadas e corridas em parques e avenidas refletem bem isso. Se as pessoas querem mais bem-estar, por que não o fisioterapeuta proporcionar isso a elas com a osteopatia?

Conhecimento mais profundo da anatomia e da biomecânica

A cada dia, mais e mais pacientes estão entrando em contato com fisioterapeutas querendo informações sobre osteopatia. As notícias correm e o acesso aos benefícios que uma técnica como a osteopatia gera se propagam com muito mais facilidade e rapidez não só por causa da internet, mas também pelo bom e velho boca a boca. Quem faz um tratamento com osteopatia não se cansa de elogiar e falar dos resultados na reabilitação para problemas como tendinite, bursite, dores de cabeça, dores nas costas e hérnia de disco, por exemplo.

À primeira vista, o interesse do paciente pode parecer uma reação a mais uma novidade na área da saúde, mas não. A busca pelo trabalho do fisioterapeuta já é um indicativo de que o paciente deseja uma alternativa à cirurgia. Com a osteopatia, sendo uma técnica manual, o fisioterapeuta terá condições de fazer um diagnóstico mais preciso e um tratamento muito mais eficaz.

Isso ocorre justamente porque usará técnicas complementares à sua formação em fisioterapia a partir de um conhecimento muito mais profundo da anatomia e da biomecânica. É isso o que tem incentivado, por um lado, a procura dos pacientes por osteopatia, e por outro, a oferta de atendimento e de cursos, como o da FBEO Brasil, nesta área.

Formação em osteopatia para se diferenciar

Os motivos para investir em formação em osteopatia não se restringem somente à observação sobre o interesse do público. Além de proporcionar mais resultados para os pacientes em menos tempo de tratamento, o que por si só já é uma excelente motivação para fazer a formação em osteopatia, há também a importância de buscar formas de se diferenciar no mercado.

Como ainda está em expansão, a oferta de serviços de fisioterapia com osteopatia ainda está aberta para a chegada de novos profissionais atuando na área. Por isso, a formação a formação em osteopatia é um investimento para profissionais em diferentes estágios na carreira. É indicado, por exemplo, para o fisioterapeuta que acabou de se formar e deseja iniciar sua trajetória já com um ingrediente agregado à sua graduação.

Para quem está ingressando num mercado que já conta com muitos profissionais consolidados, chegar oferecendo uma formação extra pode ser um atrativo. Pode ajudar o recém-formado a não ser apenas mais um, mas sim um profissional que está oferecendo um serviço a mais, um atendimento diferente. Isso pode ser uma ótima alternativa quando se pensa que muitos profissionais de fisioterapia atendem de forma independente e optam por trabalhar em bairros, o que ajuda a criar uma clientela com mais facilidade e fidelidade.

Mas como ficam aqueles fisioterapeutas que já estão há mais tempo no mercado?

Eles também têm motivos para fazer a formação em osteopatia. Primeiro, para não ficar para trás, desatualizado. Mas principalmente porque, para eles, ter esta formação é uma oportunidade de aprimorar seu atendimento e manter e atrair mais clientes. E com a osteopatia, o trabalho do fisioterapeuta tende a ser mais assertivo, mais dinâmico e isso favorece a abertura de mais horários e com mais horários, mais clientes e maior rentabilidade.

Quer saber mais sobre formação em osteopatia? Conheço o curso da FBEO Brasil. E acompanhe as novidades no Facebook: www.facebook.com/formacaoosteopatia




Comente através do seu facebook

Deixe seu Comentário